in

O papel do turismólogo frente ao desenvolvimento turístico nacional

Preocupante! Extremamente preocupante o que aconteceu após a publicação da minha coluna “Turismólogo: Uma profissão a ser reconhecida”. Após receber muitos comentários de leitores que expressavam concordância com meu relato exposto anteriormente, confesso que me senti de certa forma desconfortável. Vocês perguntarão: – Desconfortável? E eu lhes digo: – Claro, afinal alguma coisa deve estar errada nisso tudo. Ora, não haver sequer uma mensagem que discordasse de tudo aquilo que eu disse? Nenhum questionamento quanto às minhas argumentações?

Fiquei horas e horas vagando em pensamentos buscando alguma explicação para o ocorrido. Enfim, duas justificativas me vieram à cabeça. A primeira delas, óbvia, já vem daquele antigo provérbio que todos nós um dia na vida já ouvimos: “quem cala, consente”. Acho que não preciso dizer de onde viria esse silêncio, certo? Já a segunda e mais alarmante justificativa mostra-me estar certo das afirmações que fiz. Explico!

A partir de 1994, um “boom” de ofertas para cursos superiores em turismo e hotelaria aconteceu pegando “carona” com o surgimento de investidores estimulados pela estabilização da moeda e que, consequentemente impulsionaram o setor turístico nacional com a abertura de diversos empreendimentos ligados ao turismo. Porém, a oferta de profissionais graduados nas áreas não foi acompanhada pela demanda de tais empreendimentos. Ou seja, o crescimento repentino e descontrolado destes cursos superiores disponibilizou mais profissionais do que o mercado podia comportar.

Atualmente, com leis mais criteriosas, o Ministério da Educação não incentiva a abertura de cursos ligados ao setor e tem fechado muitos por não corresponderem às normas de ensino estabelecidas para área acadêmica específica.

Outra dificuldade de inserção do turismólogo no mercado é o fato do mesmo não ser considerado um profissional essencial dentro da maioria dos empreendimentos e setores públicos ligados ao turismo. Com esse pré-conceito estabelecido, não adiantaria o crescimento do turismo nacional, já que, sendo uma “categoria” pouco valorizada no mercado, profissionais de outras áreas ocupariam cargos que deveriam ser especificamente dos turismólogos. O resultado disso é a continuidade do desproporcional ciclo de oferta e demanda resultantes da formação de profissionais desta área sem mercado aberto para trabalharem.

É claro que, de doze anos para cá, a diversificação do produto turístico brasileiro fez com que surgissem diversas oportunidades para profissionais graduados na área. Caso se mantenha essa tendência, o resultado será a abertura cada vez maior do mercado para tais profissionais. No entanto, essa abertura virá acompanhada do já imprescindível domínio de línguas estrangeiras, em especial, o inglês, item básico para qualquer profissional do setor turístico, bem como a especialização em áreas cada vez mais específicas do setor, como ocorre em outras profissões.

De todo esse debate, concluo que o turismólogo sofre de dois males:

  • Mal do descobrimento: onde o profissional precisa ser descoberto pela sociedade a qual ele presta serviços. Contudo, desconhecem seu trabalho e sua existência.
  • Mal do reconhecimento: que vai muito além das habilidades adquiridas na sua graduação e que devem ser empregadas em seu trabalho através da aceitação do seu cargo pelo mercado turístico em geral.

Leandro Guedes Leite Gazola, mineiro de Varginha, é turismólogo formado pela PUC-Minas Poços de Caldas (2006). Atualmente trabalha com consultoria virtual para viagens pela América do Sul

Autor: Leandro Gazola
E-mail: [email protected]

Essa dica foi útil para você? Por favor, então deixe um comentário e compartilhe também nas suas redes sociais. Este site é feito com muita dedicação e seu apoio/participação realmente nos ajudará a mantê-lo no ar.



TOP 6 DICAS PARA ECONOMIZAR NAS VIAGENS

  • SEGURO VIAGEM - Não faça a besteira de viajar sem um Seguro de Viagem. Na Europa é obrigatório! Faça uma cotação online para ver o quanto é barato viajar tranquilo. Pague no cartão de crédito em até 12x ou com desconto no boleto bancário. Use nosso cupom: VIAGENS5 para um desconto extra de 5%.
  • HOSPEDAGEM - Somos parceiros do Booking.com que garante os melhores preços de hospedagem em qualquer lugar no mundo! Você reserva antecipado, pode cancelar e alterar quando quiser. Faça a sua reserva através do nosso link.
  • CHIP DE CELULAR - Já saia do Brasil com seu Chip Internacional 4G funcionando. Tenha conexão em mais de 140 países para usar o Whatsapp, redes sociais e GPS. Já usamos o chip da EasySIM4u em diversos países e aprovamos.
  • GANHE 179 REAIS! - O Airbnb é a melhor maneira de alugar casas e apartamentos em locais únicos, com preços para todos os bolsos. Ganhe R$179 de desconto na sua primeira reserva acima de R$250. Aproveite!
  • ALUGUEL DE CARRO - Faça aqui sua cotação online entre as melhores locadoras no Brasil e no mundo. A RentCars é nossa parceira e oferece os melhores preços, em reais e sem IOF, com total segurança.
  • NOSSAS EXPEDIÇÕES - Participe das viagens que estamos organizando com nossos leitores! São roteiros exclusivos com o melhor dos destinos e hospedagens selecionadas. Junte-se aos nossos grupos VIPs e vamos viajar juntos.

LEIA TAMBÉM



Denunciar

Booking.com

Curtiu essa matéria?

Escrito por Mauricio Oliveira

Maurício Oliveira é social media expert, fotógrafo, videomaker, consultor de turismo, blogueiro, influenciador e empreendedor. CEO do Trilhas e Aventuras, conta suas experiências de viagens no blog Viagens Possíveis e criador de inovadoras ações de marketing de turismo, o BlogTur e o VIPBloggers. Ama o que faz no seu trabalho e nas horas vagas também gosta de viajar. Siga no Instagram e no Twitter, curta no Facebook, assista no Youtube e circule Mauricio Oliveira e Trilhas e Aventuras no Google Plus.

Comentários

Deixe um comentário

One Ping

  1. Pingback:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Aruba ganha prêmio de sustentabilidade da National Geographic

Volvo Ocean Race – Etapa até o Brasil começa com vento e ondas gigantes