in

O que fazer em Boipeba – BA

Roteiros inesquecíveis é o que não faltam em Boipeba. Caminhadas entre bromélias e orquídeas numa das paisagens mais deslumbrantes de toda a Mata Atlântica; cavalgadas através da mata entre o rio e o mar; passeios de canoa, ao pôr-do-sol, entre as raízes retorcidas dos manguezais. É só escolher.

CANOAGEM

Rio do Inferno / Boipeba Velha – Passeando de canoa pelo rio que separa Boipeba da ilha do Tinharé (Morro de São Paulo) e que leva você de Torrinhas a Boipeba.

Relaxe e aproveite. Livre do ruído das lanchas, você vai percorrer o Rio do Inferno como os jesuítas que fundaram a “Velha Boipeba”: de canoa. Silêncio em todo canto, o oceano por perto e o manguezal intocado em volta, repleto de “moradores” muito especiais: o Aratu, o caranguejo-Uçá, o Pitu, o Guaiamum, o Teredo. Conhece? Pois é, estas e outras espécies surgirão para você durante a aventura e revelarão também um pouco da história da “Velha Boipeba”.

Depois de percorrer o Rio do Inferno, chega a hora de visitar alguns pontos turísticos da Velha Boipeba: a Igreja do Divino Espírito Santo, construída em 1610; as casas onde se fabricam a farinha e o óleo do Dendê como nos velhos tempos; e o refúgio do “Otavinho”, colecionador de conchas, corais e outras preciosidades recolhidas nas praias da Ilha de Boipeba. No fim de tudo, vale subir o Morro Alto das Pombas para apreciar, lá de cima, a barra do Rio do Inferno e a Ilha de Tinharé.

Fique atento às surpresas que os manguezais reservam. Aves migratórias descansam e se reproduzem no mangue; macacos, guaxinins e morcegos se escondem entre as raízes retorcidas.

CAVALGADA

Que tal ir de Boipeba até Cova da Onça a cavalo? É só pegar a trilha de areia fofa, atravessar Monte Alegre, cruzar rios e matas e apreciar lá de cima, do alto da sela, toda a beleza da Mata Atlântica e das vistas panorâmicas da Ilha.

MERGULHO

Na Ponta dos Castelhanos o barco espanhol “Madre de Dios” descansa naufragado desde 1535 no fundo do mar. Uma curiosidade histórica: cento e dez homens estavam a bordo do barco comandado por Simão de Alcázoba quando ele afundou. Quase todos se salvaram, mas acabaram massacrados pelos índios Tupinambás.

PRAIAS DE BOIPEBA

Boca da Barra é o cartão de visitas, em Velha Boipeba. Marca o ponto onde o Rio do Inferno encontra o mar. A poucos metros, na outra margem, vê-se o coqueiral de Tinharé. Logo cedo, cedo mesmo, por volta das 4h, passam os primeiros barquinhos “pópópó”, as traineiras a motor.

Siga pela trilha do outeiro até Tassimirim. Depois, vem a Praia da Cueira. Logo no início, a pedida é parar na barraca do Guido, instalada à sombra de uma amendoeira. Ali, uma pausa para saborear lagostas ou um peixinho frito.

Adiante, é preciso atravessar o Rio do Oriti. Muita cautela, pois há trechos forrados por ostras que cortam o pé como uma afiada navalha. Nem pense em seguir descalço. À direita fica a aconchegante Praia do Amor e à esquerda, a trilha para Moreré, cruzando a Fazenda Boipeba. Moreré, assim como o atracadouro de Boca da Barra, é ponto de partida de barcos para as piscinas naturais, distantes cerca de um quilômetro da praia. A melhor hora para fazer o passeio é a da maré baixa. Não adianta teimar em ir em outro horário. Aproveite para almoçar em Moreré. A casquinha de siri do Cheiro de Mar é um sonho.

Para seguir até a Ponta dos Castelhanos, o melhor é ir de traineira. O nome vem do fato de, em 1535, uma nau espanhola, a “Madre de Dios”, ter afundado no local. Com o auxílio de profissionais, pode-se mergulhar e apreciar o que sobrou da embarcação.

Tem também as Piscinas de Moreré que ficam a cerca de um quilômetro da areia. O barco para dez pessoas cobra R$ 40 pelo passeio até as piscinas. É possível também seguir até Ponta dos Castelhanos e o preço sobe para R$ 70.

TRILHAS EM BOIPEBA

Moreré e Bainema – Caminhada pela praia com mergulho nas piscinas naturais de Moreré. Um aperitivo inesquecível para quem acaba de chegar. Ao longo da trilha, muitas surpresas. Longas praias semi-desertas repletas de conchas e coqueirais (Tassimirim e Cueira); enseadas minúsculas cobertas de pedras e banhadas por água cristalina; um rio no meio do caminho e, no fim de tudo, um pedaço da Mata Atlântica enfeitado pelo coqueiro gêmeo, de duas copas, da Praia de Bainema. Mágico!!!

A caminhada dura no máximo 2 horas, um presente para o corpo e para a alma terminando com um mergulho nas piscinas naturais de Moreré, no meio do mar, logo depois da arrebentação. Água fresca e transparente, peixes e corais de todas as cores – uma banheira natural sob medida para quem quer relaxar.

A volta para “casa” pode ser feita por traineira, sem pressa, com toda a segurança, no ritmo dos pescadores da região.

Ponta dos Castelhanos – Caminhada pelas trilhas, passando pelo povoado de Monte Alegre e admirando as paisagens mais deslumbrantes de Boipeba.

Um mergulho na mata e na cultura preservadas de Boipeba. O mais difícil da caminhada pelas trilhas de areia é saber para onde olhar. As vistas panorâmicas de toda a ilha se sucedem e a paisagem muda a cada curva. De um lado, as casas de pau-a-pique da aldeia de Monte Alegre; do outro, vistos de cima, o mar e a mata intocados da “Ilha do Tesouro”. No meio do caminho, um banquete: goiabas, mangas, cajás, tudo colhido no pé.

Quando você chegar na Praia de Moreré, existem traineiras a postos para levá-lo até o próximo cenário paradisíaco do dia: a Ponta dos Castelhanos, ao sul da ilha, uma praia totalmente selvagem, aonde você chega de barco depois de atravessar a barra do rio Catu e deslizar sobre uma galera espanhola afundada, a nau “Madre de Dios”, que naufragou em agosto de 1535.

O passeio termina no fim da tarde, ao pôr-do-sol, numa viagem de traineira até Boipeba, com direito a admirar os cenários paradisíacos da Barra de Catú, Bainema, Moreré, Cueira, Tassimirim…

Cova da Onça (São Sebastião) – Cruzando a Ilha de Boipeba pelas trilhas e voltando pelo rio entre manguezais.

São doze quilômetros de caminhada por trilhas deslumbrantes, banhadas por nascentes de água natural, em meio à mata e ao silêncio de uma das fatias mais preservadas de Mata Atlântica do Brasil. O passeio de um ponto ao outro da Ilha de Boipeba dura um pouco mais de três horas e – pode acreditar – passa rápido. Porque dá vontade de “ficar de molho” no Lago do Serrão Grande e de parar a cada cajueiro e a cada mangueira centenária para saborear frutos sempre maduros no verão.

As surpresas se sucedem até a chegada em São Sebastião (ou Cova da Onça), um povoado com cerca de 700 habitantes, muitos deles descendentes de gregos e holandeses. Depois do almoço, num restaurante tão simples quanto delicioso, chega a hora de voltar… e de experimentar novas surpresas. A viagem de volta pode ser feita de barco, pelas “trilhas” do rio dos Carvalhos, entre manguezais intocados e povoados que parecem ter parado no tempo: Barra do Carvalho, São Francisco, Barreira, Barroquinhas e… Boipeba.

Do alto — o Campo das Pombas é um dos melhores mirantes — vê-se o céu vermelho e o pé do horizonte emoldurado pela silhueta das árvores e dos coqueiros.

Ilha de Tinharé – Caminhando em direção a Morro de São Paulo e voltando de barco.

Chegou a hora de conhecer o outro lado da Ilha. Em vez de caminhar em direção a Moreré, basta pegar o sentido oposto. Você não vai se arrepender. São quase 3 horas de caminhada entre o mar e o rio, por trilhas semi-desertas, até chegar a Guarapuá, uma praia de “cartão-postal”, em forma de meia lua, com quase 1 quilômetro de largura, cercada por coqueiros centenários e protegida por recifes – uma baía ideal para mergulhos refrescantes e para muitas fotos.

Uma atração à parte é a lagoa formada pelo Rio Guarapuá e emoldurada pelo manguezal extenso e intocado. Difícil é sair de dentro da água, mas… coragem. Depois do almoço, chega a hora de voltar. A pé? Nada disto. Tem a opção de barco, pelo rio, sem pressa de chegar, ou de trator, como os nativos da região.

Essa dica foi útil para você? Por favor, então deixe um comentário e compartilhe também nas suas redes sociais. Este site é feito com muita dedicação e seu apoio/participação realmente nos ajudará a mantê-lo no ar.



TOP 6 DICAS PARA ECONOMIZAR NAS VIAGENS

  • SEGURO VIAGEM - Não faça a besteira de viajar sem um Seguro de Viagem. Na Europa é obrigatório! Faça uma cotação online para ver o quanto é barato viajar tranquilo. Pague no cartão de crédito em até 12x ou com desconto no boleto bancário. Use nosso cupom: VIAGENS5 para um desconto extra de 5%.
  • HOSPEDAGEM - Somos parceiros do Booking.com que garante os melhores preços de hospedagem em qualquer lugar no mundo! Você reserva antecipado, pode cancelar e alterar quando quiser. Faça a sua reserva através do nosso link.
  • CHIP DE CELULAR - Já saia do Brasil com seu Chip Internacional 4G funcionando. Tenha conexão em mais de 140 países para usar o Whatsapp, redes sociais e GPS. Já usamos o chip da EasySIM4u em diversos países e aprovamos.
  • GANHE 130 REAIS! - O Airbnb é a melhor maneira de alugar casas e apartamentos em locais únicos, com preços para todos os bolsos. Ganhe R$130 de desconto na sua primeira reserva acima de R$250. Aproveite!
  • ALUGUEL DE CARRO - Faça aqui sua cotação online entre as melhores locadoras no Brasil e no mundo. A RentCars é nossa parceira e oferece os melhores preços, em reais e sem IOF, com total segurança.
  • NOSSAS EXPEDIÇÕES - Participe das viagens que estamos organizando com nossos leitores! São roteiros exclusivos com o melhor dos destinos e hospedagens selecionadas. Junte-se aos nossos grupos VIPs e vamos viajar juntos.

LEIA TAMBÉM



Denunciar

Curtiu essa matéria?

Escrito por Mauricio Oliveira

Maurício Oliveira é social media expert, fotógrafo, videomaker, consultor de turismo, blogueiro, influenciador e empreendedor. CEO do Trilhas e Aventuras, conta suas experiências de viagens no blog Viagens Possíveis e criador de inovadoras ações de marketing de turismo, o BlogTur e o VIPBloggers. Ama o que faz no seu trabalho e nas horas vagas também gosta de viajar. Siga no Instagram e no Twitter, curta no Facebook, assista no Youtube e circule Mauricio Oliveira e Trilhas e Aventuras no Google Plus.

Comentários

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários

0 comentários

Onde ficar em Boipeba – BA

Trilhas e caminhadas em Boipeba – BA